INEVITAVELMENTE CINEMA: EDUCAÇÃO, POLÍTICA E MAFUÁ

Autor: Cezar Migliorin
Data: 22/11
Local: Livraria Paim
Horário: 09h

Sobre o livro

A proposta que deu origem a este livro parte de uma premissa bela e audaz: “Todo estudante é capaz de fazer cinema”. Isso significa “atuar criativa e criticamente com a câmera”, ou seja, conceber modos de mostrar o real numa tela e compartilhá-lo; em suma, descobrir e interrogar o que existe, inventando o mundo com o cinema. Trata-se, afinal, de levar a sério a possibilidade de o cinema pensar o mundo e, em particular, essa instituição basilar de nossa sociedade que é a escola.

Sobre o autor

Cezar Migliorin é professor de Cinema na UFF e coordenador do projeto nacional de cinema, educação e direitos humanos: Inventar com a Diferença. Organizador do livro Ensaios no Real: o documentário brasileiro hoje (2010), autor do livro de ficção A menina (2014) e do livro Cartas sem resposta (2015), pela Ed. Autêntica. Sua mais recente publicação é o livro Inevitavelmente Cinema: educação, política e mafuá (2015), pela Ed. Azougue. É presidente da Socine – Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual.

UNA ESTETICA DEL ENCIERRO: ACERCA DE UNA PERSPETIVA DEL CINE BOLIVIANO

Autor: Sebastian Morales
Data: 23/11
Local: Livraria Paim
Horário: 09h

Sobre o livro

Este livro tem como objetivo fazer uma estética do cinema boliviano, ou seja, propor caminhos de leitura, perspectivas que permitam uma compreensão desta cinematografia. As relações entre os diferentes filmes que aparecem neste livro são realizadas a partir de uma análise dos espaços. A perspectiva escolhida requer uma análise formal dos filmes. Dá-se atenção aos elementos especificamente cinematográficos dos filmes: os movimentos da câmera, as montagens, os quadros, as cores, etc. Para isso, analisa plano a plano uma série de filmes para estabelecer suas relações formais. A hipótese é a seguinte: apesar da heterogeneidade temática no cinema boliviano produzido digitalmente, ainda há gestos que seguem sendo mantidos ao longo dos anos. Há uma perspectiva de cinema boliviana, que tem a ver com uma estética do encerramento, ou seja, a construção de espaços de clausura em diferentes filmes e diretores.

Sobre o autor

Sebastian Morales Escoffier dedica suas investigações ao estudo e análise do cinema boliviano. Formou-se em Filosofia pela Universidade Mayor de San Andrés. Possui pós-graduação em cinema na França e é especialista em Ensino Superior pela Universidade Católica. É crítico de cinema da revista digital Cinemascine.net. Além disso, é curador do Festival Pachamama Cinema de Fronteira, que tem sede em Rio Branco, Brasil, na fronteira que compartilha com a Bolívia e o Peru.Tem facilitado oficinas de crítica de cinema em diferentes espaços e é fundador e agitador do cineclube de La Mirada de Ulises. Além disso, fez várias apresentações sobre cinema boliviano e estética para a Fundación Simón I Patiño Foundation, a Associação de Estudios Bolivianos y para la Carrera de Filosofía