Festival Pachamama abre inscrições para oficina on-line de Produção de Filmes de Baixo Orçamento

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Ministrada pelo renomado cineasta recifense Camilo Cavalcante, a oficina será entre os dias 16 e 21 de maio.

Como parte da programação do XI Festival Internacional Pachamama – Cinema de Fronteira, será realizado entre os dias 16 e 21 de maio a oficina “Produção de Filmes de Baixo Orçamento”. Ministrado pelo cineasta recifense Camilo Cavalcante, o curso será totalmente on-line e de forma gratuita. As inscrições estarão abertas de 7 a 12 de maio, e podem ser feitas no site cinemadefronteira.com.br.

Ao todo, serão quatro encontros de três horas, cada, iniciando às 18h no Acre (19h nas capitais do Peru e Bolívia), onde serão feitas análises de filmes e discussões sobre os tópicos fundamentais dos processos técnicos e operacionais que envolvem uma produção cinematográfica, apresentando diversas perspectivas para a construção de um cinema poético e autoral.

O ministrante ainda exibirá e analisará diversos curtas-metragens criados e produzidos por ele, tais como: Cálice, O Velho, O Mar e o Lago, Rapsódia para um Homem Comum, e o longa A História da Eternidade, que recebeu 28 prêmios entre festivais nacionais e internacionais.

Também serão discutidos alguns manifestos e movimentos cinematográficos importantes, como o Dogma 95, O Terceiro Cinema e o Cinema Novo. Segundo o cineasta, o foco principal é estimular a criatividade, o senso crítico e o olhar poético dos participantes, por meio de um exercício prático.

“Filme de baixo orçamento não significa uma obra precária. Representa o enfrentamento das adversidades financeiras com muita criatividade em busca de um cinema pulsante, que respire liberdade e inventividade”, destacou Camilo Cavalcante.

Sobre o ministrante

Camilo Cavalcante é mestre em Cinema pela Universidade da Beira Interior (Portugal) e graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco. Também participou da oficina de Roteiro Cinematográfico na Escuela Internacional de Cine y TV de San António de Los Baños (Cuba).

É roteirista, diretor e produtor de 14 curtas-metragens com mais de 130 prêmios em mostras e festivais de audiovisual e dos longas-metragens A História da Eternidade (2014) e King Kong em Asunción (2020), vencedor de quatro prêmios no Festival de Gramado, entre eles Melhor Filme (Júri Oficial) e o Prêmio do Público.

Também dirigiu os Documentários BECO (2019) e 5 Vezes Chico – O Velho e Sua Gente (2015), além de séries documentais para TV, como Luz do Sertão – Cem Anos de Luiz Gonzaga (2013), Índios no Brasil (2016), Anjos Humanos (2018) e duas temporadas de OLHAR (2011, 2015).